Atenção à Saúde

Rede Iluminar de cuidados às Vítimas de Violência Sexual

 

Apresentação

 

Foi a partir das grandes Conferências Internacionais dos últimos 10 anos, em especial a Conferência sobre Direitos Humanos, Viena/93, População e Desenvolvimento, Cairo/94, Mulheres, Desenvolvimento e Paz, Beijing/95 – que o problema da violência, em todos os níveis e de qualquer natureza, especialmente contra a mulher e criança, passou para a pasta dos governos signatários da ONU, entre eles o Brasil, como um grave Problema Social e de Saúde Pública.

Transformando esta conquista em Políticas Públicas, a Secretaria da Saúde, através do Projeto “ILUMINAR CAMPINAS, Cuidando das Vítimas de Violência Sexual”, está dando um passo significativo para a redução dos índices de violência, difundindo a proposta para um trabalho em Rede, o que consiste em tornar eficaz a circulação de informações, a formação de laços de solidariedade, a realização de ações em conjunto.

Em outras palavras, o Projeto visa quebrar a barreira do silêncio e solidão que envolve as vítimas, sejam homens, mulheres, crianças, homossexuais, empreendendo ações específicas de várias Secretarias (Saúde, Educação, Segurança, Assistência Social), abrangendo todos os Hospitais Municipais, Centros de Saúde, Escolas, Guarda Municipal, Serviços Sociais etc., entrelaçando estes aos demais serviços que formam a rede de atendimento em Campinas: IML - Instituto Médico Legal, Conselho Tutelar, CRAISA - Centro de Referência e Atenção Integral à Saúde do Adolescente, COAS - Centro de Orientação e Apoio Sorológico, CRAMI - Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância, SOS/Ação Mulher e Família, CAISM, HC - Unicamp, entre outros.

Acredita-se que é possível reduzir os índices de violência sexual inibindo a ação do agressor, intervindo sobre o problema para além dos aspectos judiciais, acolhendo, prestando assistência à saúde física, social e psicológica, orientando e encaminhando vítima e agressor de forma imediata e eficaz.

Para atingir este objetivo, mantemos em capacitação permanente todos os profissionais da rede de cuidado.

Entretanto, ao mesmo tempo que a Solidariedade é um sentimento que nos sensibiliza diante da dor do outro, despertando o desejo de fazer algo, por outro lado existem dores que ferem nossos princípios, nossa alma e quando somada ao despreparo no trato deste problema específico, mobilizam outros sentimentos como o de impotência tornando nossa solidariedade inoperante. Nesse sentido, potencializar a capacidade de indignação do profissional para uma solidariedade operante e de co-responsabilidade, significa reunir os recursos técnicos, teóricos e emocionais, relacionando-os com os recursos da vítima e sua rede de apoio: família, amigos, comunidade etc.

Para o filósofo Mário Sérgio Cortella, “solidariedade vem de solidez, daquilo que consolida e dá firmeza à vida coletiva, enquanto a palavra de solidão está atada à idéia de ser e ou estar por si mesmo”. Nesse sentido, tirar a vítima da solidão, implica não só em desenvolver no profissional uma escuta competente e efetiva, mas considerar que a dor, o sofrimento e o risco de vida que envolve este tipo de problema imobiliza e produz vários sentimentos que podem servir de obstáculo para o atendimento.

Ser um Ponto de Luz significa fazer a diferença no acolhimento, contando com profissionais sensíveis e qualificados que irão ajudar a vítima a sair das trevas e construir no presente, o futuro, resgatando o seu projeto de vida que ficou interrompido mas não perdeu sua razão de ser.

Dra. Verônica Gomes Alencar
Ginecologista do Dpto. de Saúde/SMS

 

Maria José Lopes de Sousa
Socióloga

 

Voltar para página principal