Vigilância Epidemiológica

Febre Maculosa

A febre maculosa brasileira (FMB) é uma doença infecciosa, febril aguda, de gravidade variável, cuja apresentação clínica pode variar desde as formas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de letalidade. É causada por uma bactéria do gêneroRickettsia (Rickettsia rickettsii), transmitida por carrapatos, caracterizando-se por ter início abrupto, com febre elevada, cefaleia e mialgia intensa e/ou prostração, seguida de exantema máculo-papular, predominantemente nas regiões palmar e plantar, que pode evoluir para petéquias, equimoses e hemorragias. O tratamento precoce é essencial para evitar formas mais graves da doença.

 

Informações Gerais (Comunidade)

Perguntas e Respostas sobre a Febre Maculosa no Lago do Café (COVISA, mar/2011)

Perguntas e respostas sobre a Febre Maculosa Brasileira (COVISA, jul/2007)


Informações Técnicas (Profissionais de Saúde)

Diretrizes técnicas para a vigilância e controle da Febre Maculosa Brasileira no Estado de SP - 03/2016

Guia de Vigilância Epidemiológica - Ministério da Saúde - Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS)

Ficha de Notificação

Informe Técnico - Febre Maculosa Brasileira (COVISA, mar/2011)

Diretrizes do IBAMA referentes ao controle da capivara e o controle da Febre Maculosa Brasileira (IBAMA, mar/2008)

Apresentações da Oficina de Febre Maculosa (jun/2007)

 Rotina Simplificada de Atendimento e Tratamento de Paciente com Suspeita de Febre Maculosa Brasileira (COVISA, 2007)

 Informe - Surto provável de febre maculosa (COVISA, 08/ago/06)

 Fluxo de Investigação de Local Provável de Transmissão de Febre Maculosa Brasileira (COVISA, 2005)

 Informe sobre Carrapatos e Febre Maculosa Brasileira (COVISA, set/2005)

Manual de Vigilância e Controle de Carrapatos (Sucen, dez/2002)

Informe Técnico: Febre Maculosa Brasileira I (CVE, set/2002)

Informe Técnico: Febre Maculosa Brasileira II (CVE, set/2002)

Informações da Sucen

Alerta do CRM - dez/04

Retorna a Listagem de Doenças de Notificação Compulsória